SCP-041
Avaliação: 0+x

Item nº: SCP-041

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-041 deve permanecer hospitalizado na Área de Bio-Pesquisa 12. Apesar de não fazer parte da classe Keter, o risco de que as habilidades de SCP-041 se propaguem além de uma distância possível de conter, potencialmente divulgando informações SCP sigilosas para o público é grande o suficiente para justificar o isolamento da Área de qualquer população. É recomendado que funcionários SCP que desejem manter a privacidade de seus pensamentos se mantenham fora de um raio de quinze (15) metros de SCP-041, atrás do círculo vermelho marcado no piso.

É vantajoso para a saúde mental de SCP-041 que um "cuidador" permaneça no quarto assistindo televisão e se concentrando na programação. Isso permite que SCP-041 efetivamente "assista" televisão através da mente de outra pessoa. O cuidador ideal seria um funcionário Classe-D com inteligência abaixo da média e cuja mente não se perca e que não tenha mais de uma linha de pensamento por vez. Apesar de não se tratar de controle mental, SCP-041 já utilizou suas habilidades para forçar cuidadores a assistir programas que não gostassem. Os gostos de SCP-041 variam entre filmes de terror/violentos (tendo demonstrado interesse em "snuff") e programas infantis.

Descrição: SCP-041 é um humano do sexo masculino que sofreu dano irreversível ao seu sistema nervoso central, acredita-se causado por uma infecção de uma cepa rara de meningite bacteriana. Apesar de antibióticos terem sido capazes de curar a infecção, as membranas revestindo seu cérebro e medula espinal reagiram à infecção rompendo diversas conexões nervosas entre o sistema nervoso central e o resto do corpo. SCP-041 depende de um respirador para fazer trocas gasosas, de um marcapasso biventricular para manter seu batimento cardíaco e de um tubo nasogástrico para alimentação.

Visualmente, SCP-041 se encontra em um estado vegetativo persistente. Contudo, observadores na presença de SCP-041 começam a perceber que seus pensamentos, juntamente com os de qualquer pessoa a um raio de cerca de 10 metros de SCP-041, são transmitidos de uma maneira semi-audível. Além de ser a fonte, SCP-041 também é capaz de transmitir seus próprios pensamentos para os presentes. Qualquer pessoa que forme uma ideia usando palavras, terá esse pensamento involuntariamente transmitido aos outros nesta área na forma de "fala mentalmente audível", que não pode ser gravada por nenhum equipamento conhecido. (Correção: ver Adendo-01). A fala mentalmente audível ser[a "ouvida" com qualquer voz que o indivíduo tenha utilizado para pensar; na maioria dos casos, na própria voz do indivíduo (ver Documento-01).

Pensamentos visuais e imagens também são transmitidos, embora não sejam recebidos tão facilmente. Imagens são emitidas de maneira mais eficaz quando tanto o remetente quanto o destinatário permanecem de olhos fechados, com o primeiro se concentrando em um único objeto, sem nada ao redor ou no fundo, e o segundo mantendo sua mente livre de pensamentos conscientes. A comunicação entre indivíduos utilizando imagens visuais, particularmente as baseadas em imaginação ao invés de memória, é difícil. O remetente tende a ter dificuldade em conceber um objeto mental detalhado à partir de um único ponto de vista, enquanto o destinatário tende a tentar preencher as lacunas de informação faltando sobre o objeto, resultando no recebimento de uma imagem diferente da que foi enviada. A imagem mais difícil de ser transmitida parece ser a face de uma pessoa, principalmente quando se trata de uma pessoa em movimento.

Apesar de ser capaz de transmitir seus pensamentos a outros, SCP-041 não é muito "conversador". Tentativas de persuadir SCP-041 a divulgar informações sobre suas habilidades foram, até o momento, infrutíferas. SCP-041 tipicamente permanece em silêncio e não responde a tentativas diretas de comunicação. Contudo, SCP-041 parece possuir senso de humor, uma vez que ocasionalmente interpõe comentários nas conversas dos outros.

Adendo-01: Enquanto o pesquisador ███████ ███████ tomava notas verbais utilizando um gravador digital, um colega estava mudando o canal da televisão do quarto de SCP-041. Enquanto o televisor mostrava estática, vozes incorpóreas podiam ser ouvidas entre os ruídos brancos. Tentativas de gravar fala mentalmente audível utilizando geradores de ruído branco e equipamentos de gravação som começaram a produzir resultados modestos, apesar de a maior parte do áudio ser deturpado e de que o fato de os sons tratarem-se ou não de vozes ser subjetivo.

Adendo-02: "Chamou a minha atenção o fato de que diversos funcionários tem utilizado SCP-041 com um detector ad-hoc de 'ela gosta de mim ou não'. Essa é uma das coisas mais assombrosas que eu já ouvi. Nós estamos protegendo objetos que podem potencialmente destruir o mundo ou estamos na terceira série?" - Dr. Klein.

Documento-01: Citação de Pesquisador: "Sabe, a primeira vez que eu tava naquele quarto com o Kent e o quarenta-e-um, eu ficava ouvindo alguém cantando. Era a voz de uma garotinha cantando alguma música infantil. Não era da TV e com certeza não era do rádio… Tava dentro das nossas cabeças… sabe. Então eu pensei, 'Sabe, se eu tivesse preso numa cama, sem mais nada pra fazer, eu também cantaria que nem uma garotinha'. E aí eu ouvi uma voz na minha cabeça, 'Ei, não sou eu… Eu nem conheço essa música", e aí o velho Kent olhou pra mim, com a cara branca… sabe."

Nota: Este evento ocorreu após SCP-239 ser colocado em um coma quimicamente induzido. Não foi confirmada nenhuma conexão entre os dois SCPs.


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License