SCP-045
Avaliação: 0+x

Item nº: SCP-045

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-045 deve ser constantemente mantido na Câmara de Descompressão 32-s(D). A atmosfera da Câmara de Descompressão 32-s(D) deve ser composta de gases inertes (preferivelmente xenônio ou hélio). Caso SCP-045 seja exposto ao ar atmosférico, todo o o setor de contenção será selado e preenchido com hélio, e sua liberação aguardará ordem de funcionário de classe supervisora.

Qualquer funcionário deve, ao entrar na câmara, estar equipado com trajes resistentes a pressão e respiradores de oxigênio, e deve evitar contato com SCP-045.

Descrição: SCP-045 foi encontrado hibernando em uma corrente submarina quente a uma profundidade de ████ ████████, ████ ███████ e █████ (████) braças, em ████'█O ████'█N. O objeto foi localizado por uma expedição submarina e trazido à bordo de uma batisfera. A batisfera foi encontrada uma semana após sua submersão, flutuando a alguns quilômetros da localização original e repleta de água sob pressões impressionantes. Estas circunstâncias chamaram a atenção da Fundação e a batisfera foi sumariamente coletada.

SCP-045 é, em seu estado de hibernação, um icosaedro perfeito composto de material granuloso sem correspondência com nenhuma informação espectroscópica conhecida. Considerando que o objeto foi encontrado sob alta pressão, especula-se que a forma de SCP-045 é causada por um efeito compactador. SCP-045 reage com nitrogênio atmosférico, criando vastas quantidades de água. Uma vez que a água criada excede a massa de nitrogênio utilizada, presume-se que SCP-045 obtém massa de fontes extra-locais.

SCP-045 gera faixas esféricas de água a pelo menos cinco centímetros de sua superfície, permitindo que o objeto continue coletando nitrogênio da atmosfera. Estas faixas formam um redemoinho com rotação anti-horária cuja velocidade é diretamente proporcional à quantidade de água na qual SCP-045 se encontra imerso. Nas simulações, este vórtice pode se estender a profundidades de até três quilômetros. A submersão completa do objeto em água sob pressões acima de trezentas e oitenta (380) atmosferas faz com que o vórtice se desfaça, forçando SCP-045 a entrar em estado dormente devido à falta de nitrogênio.

A composição da água gerada por SCP-045 é similar à da água do mar, e sua temperatura varia de dez a trinta e dois (10-32)ºC.

Adendo #045-1: A análise do local de aterrissagem de SCP-045 revelou traços de matéria de meteoritos, dando credibilidade à teoria de que a Terra não adquiriu água por meios geológicos. Ao invés disso, quando SCP-045 foi introduzido em nosso planeta, começou a gerar água rapidamente, eventualmente elevando o nível dos oceanos ao ponto que conhecemos hoje.

Modelos computadorizados mostram que a produção de água do mar atingiu seu apogeu aproximadamente na Era Pré-Cambriana. Após este período, deslocamentos continentais e a geração de água lentamente levaram SCP-045 a uma profundidade de mais de três mil e oitocentas (3800) braças, levando à sua hibernação.

Adendo #045-2: Foi sugerido que um repentino terremoto no Mediterrâneo teria elevado SCP-045 por um breve momento durante a Idade dos Mitos até um ponto onde SCP-045 gerou um redemoinho com mais de duzentos (200) metros de diâmetro. Isto poderia explicar as continuas referências ao mito de Caríbdis durante o período.

Memorando sobre #045: "Eu continuo dizendo, me encontre um planeta com nitrogênio atmosférico abundante e eu consigo a autorização pra lançar essa beleza pra lá. Terraformação barata!" — ███████ ██████████


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License