SCP-059
Avaliação: 0+x
0591.jpg
Exemplar de SCP-059
0592.jpg
Ambiente infestado por SCP-059-1

Item nº: SCP-059

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Um único espécime de SCP-059 é mantido na Área-11B dentro de uma caixa blindagem classe-Z composta de urânio empobrecido, tântalo, estanho, aço, cobre e alumínio. A área de 7m x 7m x 7m ao redor da caixa de contenção SCP-059 é selada e protegida como uma Área de Risco Biológico Nível-4, e é rodeada por 3 cm de blindagem de chumbo. Essa área deve ser pulverizada diariamente com uma solução de metil-isotiocianato para prevenir a proliferação de SCP-059-1.

Os funcionários que adentrarem a área afetada por SCP-059 devem vestir trajes adequados de proteção biológica, bem como blindagem K-59-B anti-radioativa. Eles devem permanecer na área por no máximo 15 minutos, uma vez que a blindagem radioativa não é completamente eficaz.

Infestações de SCP-059-1 encontradas na natureza devem ser contidas através da remoção do espécime de SCP-059 responsável e da incineração de todos o SCP-059-1 encontrado. Infestações subterrâneas de grande porte são neutralizadas mais eficazmente através do uso de explosivos termobáricos.

Não são mais necessários espécimes de SCP-059 para experimentos, sendo assim, quaisquer exemplares devem ser transportados para a Área-11B para serem incinerados por raio voltaico de plasma a 10.000 graus Kelvin.

Descrição: SCP-059 é um mineral radioativo de origem desconhecida, com aparência semelhante a de scheelita. Acredita-se que um dos componentes de SCP-059 se origine em um universo paralelo, responsável por suas propriedades anômalas. Além de radiações alfa, beta e gama, SCP-059 produz um tipo anteriormente desconhecido de radiação, único ao objeto, provisoriamente denominada 'radiação delta'. A radiação delta é acompanhada por radiação de Cherenkov, visível como um brilho azul.

A radiação delta é parcialmente contida por blindagens anti-radioativas comuns; os melhores resultados para contenção foram obtidos utilizando blindagem laminada de nível-Z em adição a uma camada superdensa de metal. Isto reduz o raio de influência da radiação delta de aproximadamente 20 m para cerca de 6 m.

Quando um local é exposto à radiação delta por mais de 15 minutos, uma espécie desconhecida de fungo (designado SCP-059-1) começa a proliferar em qualquer superfície exposta. Este fungo não requer qualquer tipo de nutrição, mas morre em 24 se removido da fonte de radiação delta. SCP-059-1 é, também, radioativo, embora não emita radiação delta. Contudo, se uma massa crítica de SCP-059-1 for alcançada (cerca de ██ kg/m3), surge no local radiação delta de uma fonte desconhecida, contribuindo com o desenvolvimento de SCP-059-1. (Interessados podem consultar o Dr. ███████ sobre suas teorias sobre tensão de espaço-tempo e fusão de realidades paralelas). Dentro de 18 horas, a massa infectada torna-se invisível e desaparece, presumivelmente sendo transportada para o universo de origem da radiação delta. O processo então continua, com SCP-059-1 infectando novos materiais.

SCP-059-1 é capaz de infestar tanto seres vivos como objetos inanimados. Humanos (e animais) infectados com SCP-059-1 tornam-se imunes aos efeitos de radiação ionizante, mas fundem-se progressivamente com SCP-059-1, eventualmente tendo todos os seus tecidos substituídos por crescimentos fúngicos. Embora não sejam geralmente violentos, os contaminados tentarão expor outros indivíduos a SCP-059. Infecções de SCP-059-1 não demonstram serem contagiosas, dependendo do contato com radiação delta para se espalharem. Entretanto, a exposição prolongada a SCP-059-1 não foi testada o suficiente para descartar a possibilidade de risco biológico (em adição ao risco radioativo já conhecido).

Indivíduos contaminados capazes de comunicação relatam ver um mundo inteiramente coberto por SCP-059-1, onde grande parte das superfícies é composta de SCP-059. Não é claro se estes relatos derivam de alucinações ou se se tratam de visões da origem de SCP-059. Os infectados em geral se sentem felizes com sua condição e frequentemente relatam se sentir "na luz azul do céu".

SCP-059-1 é afetado pela maioria dos fungicidas, mas novas proliferações continuarão a surgir enquanto SCP-059 estiver presente. Estágios iniciais da infecção por SCP-059-1 em humanos podem ser tratados com griseofulvina, embora o tratamento possua 90% de chance de provocar morte por entoxicação por radiação. Os indivíduos tratados perdem sua resistência a radiação, já tendo absorvido doses letais antes do tratamento. Não devem ser tentados tratamentos em estágios finais da infecção, pois grande parte dos tecidos já terão sido substituídos por SCP-059-1. [DADOS EXPURGADOS]. Os restos de tratamentos fracassados devem ser mantidos fora do alcance de SCP-059, caso contrário [DADOS EXPURGADOS].

Foram descobertos espécimes de SCP-059 em 8 localizações subterrâneas diferentes, dentro de um raio de 5000 km. Não foi verificado nenhum padrão para sua ocorrência. Os espécimes possuem peso que varia de 1 a 10 kg, não sendo parte das formações rochosas naturais das regiões onde foram descobertos.

Adendo: Dr. ███████ registrou e analisou os padrões da radiação emitida pela colônia de SCP-059-1 em contenção e acredita que SCP-059-1 possa ser sapiente, tentando se comunicar através de emissões controladas de radiação. Tentativas iniciais de analisar esta "linguagem" revelaram que [DADOS EXPURGADOS].


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License