SCP-067
Avaliação: 0+x
0671.jpg
A ponta de SCP-067 vista de perto

Item nº: SCP-067

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Quando não estiver em uso ou envolvida em experimentos, SCP-067 deve ser armazenada em sua caixa de madeira forrada de feltro. Sua ponta deve ser arrolhada, e todos os desenhos e gravuras devem ser submetidos ao comando de pesquisa SCP para análise e testes.

Descrição: SCP-067 é uma caneta-tinteiro feita por uma empresa alemã chamada Pelikan em algum momento entre a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. O objeto possui coloração verde-clara, com uma única linha vermelha correndo pela sua lateral. O casco é feito de carvalho e a ponta é extremamente afiada, sendo capaz de perfurar a pele humana com a aplicação de pouquíssima pressão. Apesar de, aparentemente, não possuir um reservatório, a ponto nunca parece ficar sem tinta fresca. Além disso, a caneta escreve com tinta ferrogálica, com características adequadas para artistas mas com propriedades químicas que teriam corroído outras canetas-tinteiro rapidamente.

Pesquisas demonstraram que qualquer indivíduo segurando SCP-067 perde toda a autonomia e controle do braço e da mão segurando o objeto. As sensações são mantidas, mas o braço à partir do cotovelo é controlado por forças desconhecidas, teoricamente provenientes de SCP-067. Um dos efeitos possíveis é que a mão "controlada" comece a usar a caneta para escrever uma biografia detalhada do indivíduo segurando a caneta. Esta biografia incluirá informações como o nome do indivíduo, sua idade, data de nascimento, registro criminal, fobias, etc. Em alguns casos, a caneta escreve coisas como fatos que ocorreram na vida da pessoa. Por exemplo, quando a Cobaia 1204M segurou SCP-067, o indivíduo começou a escrever uma narração detalhada de um acidente automotor no qual se envolveu no ano anterior. Posteriormente, o indivíduo admitiu que diversos dos detalhes escritos não eram prontamente conhecidos por ele no momento (por exemplo, o indivíduo tinha esquecido diversos dos elementos presentes na narrativa, incluindo a placa de seu carro, a cor do outro carro, etc.). O indivíduo relatou que, enquanto escrevia, sua memória do evento era tão vívida que ele conseguia "sentir o gosto de sangue na boca".

0672.jpg

Indivíduos segurando SCP-067 também são capazes de criar obras de arte complexas, apesar de nunca terem tido treinamento ou tendências artísticas. Por exemplo, a Cobaia 1102F, uma jovem mulher sem experiência artística, foi capaz de desenhar uma criatura alada semelhante a SCP-███, descrita pelos pesquisadores presentes como [DADOS EXPURGADOS]. Quando os indivíduos são questionados quanto ao que acontece quando seguram SCP-067, a resposta típica é que o indivíduo cede espontaneamente o controle do membro para SCP-067 para que a obra seja terminada sem obstáculos (ver Resposta Citada-01). Quando instruídos a não escrever ou desenhar, os indivíduos descrevem sentimentos de apatia, admiração e de cooperação para com SCP-067, que os compelem a uma vontade que não as suas.

Resposta Citada-01: "Eu não sei bem como explicar, meio que simplesmente aconteceu. Quando eu segurei a caneta, parecia que minha mão não era mais minha. Eu sabia que podia movê-la se quisesse, mas escolhi não fazer isso por que eu adorei a imagem que estava desenhando. Foi como se minha mão tivesse vida própria. De repente, minha mão parou e eu percebi que tinha controle sobre ela de novo, então deixei a caneta na mesa. Eu olhei pro desenho e vi o quanto era lindo. Eu acho que a caneta decidiu que acabou, e que eu não era mais necessário."

Testes e Experimentos
Em ██/██/20██, foi realizado um teste para ver como a caneta afeta outros seres vivos, além de humanos.

Experimento 001:
A cobaia, um macaco reso do sexo masculino com 2 anos e 4 meses de idade, anteriormente ensinado a usar canetas e pincéis, foi colocada em uma sala de vigilância psicológica padrão (com paredes de coloração neutra e espelhos unidirecionais para observação), com SCP-067, uma mesa e um bloco de papel.

A cobaia pegou SCP-067 com seu pé esquerdo e o transferiu para sua mão direita, provando o objeto em seguida. O indivíduo então largou a caneta sobre o papel e a cheirou. Após 30 segundos, o indivíduo pegou SCP-067 novamente e começou batê-la levemente sobre seu corpo. O indivíduo continuou batendo com força crescente, até que sua pelagem foi salpicada com tinta. O indivíduo então atirou SCP-067 no chão (análises mecânicas posteriores não revelaram qualquer dano ao objeto).

Neste ponto, o indivíduo arrancou uma folha do bloco de papel e começou a esfregá-la na tinta em seu pelo. Isto continuou por 3 minutos, após os quais o indivíduo mordeu a folha e saltou da mesa para a saliência do espelho de observação (com força suficiente para derrubar a mesa). O indivíduo então começou a esfregar a tinta do papel no espelho, emitindo repetidas vocalizações; análises posteriores revelaram que 50% das vocalizações correspondem àquelas emitidas por macacos resos em estado de aflição; os outros 50% não foram reconhecidos.

Após passar 6 minutos esfregando tinta no espelho, o indivíduo começou a rasgar a folha com seus dentes e garras, mas a largou antes de destruir mais de 20% de sua superfície. O indivíduo então caiu no chão, respirando de forma acelerada e repetindo as vocalizações atípicas.

O treinador do indivíduo relatou que, após ser removido da sala, a disposição do animal melhorou rapidamente. O indivíduo foi observado atenciosamente por mais dois meses após o experimento, mas não repetiu as vocalizações atípicas.

A folha de papel foi arquivada em [DADOS EXPURGADOS].


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License