SCP-120

Item nº: SCP-120

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Devido à sua importância para o projeto SCP, SCP-120 deve ser constantemente mantido sob vigilância de câmeras e guarda armada. Qualquer funcionário tentando utilizar o objeto sem autorização será rescindido imediatamente. Todos os funcionários que desejarem utilizar o objeto devem remeter uma cópia preenchida do documento de requisição (Documento #120-23) aos operadores da instalação.

Devido à temporização e coordenação necessárias para o uso eficiente do objeto em caso de emergência, todos os funcionários que adentrarem o prédio onde se encontra SCP-120 serão colocados sob comando temporário dos chefes da instalação Capitão ████████ (Destacamento de Segurança) e Doutor █████████ (Equipe de Pesquisa) (L4).

Todos os locais de destino devem ser mantidos sob supervisão e guarda armada. Eles são valiosos para a Fundação, mas não são críticos. Apesar disto, qualquer local de destino comprometido deve ser relatado imediatamente aos funcionários responsáveis por SCP-120.

A Força Tarefa Distribuída Sigma-6 ("Saltadores de Poças") foi criada com o objetivo de proteger e manter a instalação de SCP-120 e os postos avançados de seus locais de destino. Ela consiste de: 1 unidade de comando e 1 unidade de defesa e manutenção, baseadas na instalação de SCP-120 no Comando-██; 5 unidades baseadas nos locais de destino, mais 5 unidades reserva; e 5 unidades atribuídas a outros projetos envolvendo SCP-120.

Descrição: SCP-120 aparenta ser uma pequena piscina infantil, de coloração rosa pastel, com um diâmetro interno de aproximadamente 2,5 m e altura interna de 0,3 m. A piscina parece ser fabricada de plásticos comuns encontrados na Terra, mas demonstrou ser indestrutível por todos os meios tentados (ver relato de pesquisa #120-32 para uma relação completa). A estrutura da piscina e sua resposta à pressão são típicos de qualquer objeto similar (se deforma quando pressão é aplicada e é macia ao toque) mas possui uma força tênsil impressionante e não pode ser permanentemente deformada ou rasgada.

No interior da piscina parece haver uma substância líquida, colorida e brilhante que parece existir existir só parcialmente em nossa dimensão. A substância não reage à manipulação feita por meios orgânicos ou inorgânicos, embora ondas e lampejos surjam sistemática e frequentemente, sugerindo que sua existência física esteja em outra dimensão.

A propriedade mais útil e interessante de SCP-120 é frequentemente utilizada por funcionários SCP. Seres humanos vivos e portando cargas com menos de 37,8 kg (incluindo roupas), são capazes de cair através da piscina, e são transportados a um de 11 destinos diferentes. Estes destinos serão detalhados em um adendo.

O objeto só se comporta desta maneira caso algumas circunstâncias estejam presentes: o indivíduo deve ser geneticamente humano; o indivíduo deve estar consciente; o indivíduo deve estar portando uma carga abaixo do peso especificado; e somente um indivíduo deve estar presente na superfície por vez. Cobaias que tentaram utilizar SCP-120 fora destas condições relataram sentir seus pés em contato com uma superfície macia sob o líquido, mas nenhum outro efeito significativo foi observado.

O principal uso de SCP-120 é como meio potencial de evacuação do Comando-██ em caso de emergência grave. O objeto presentemente se encontra armazenado e mantido em um prédio externo e fortificado nesta instalação. Para mais detalhes sobre os procedimentos de evacuação, ver o documento #120-22.

SCP-120 foi trazido à atenção das autoridades SCP pela primeira vez em 31/08/1992. As autoridades da polícia local de █████, Califórnia, investigavam relatos de crianças desaparecidas em sua jurisdição quando descobriram e relataram o objeto em 31/08. O Comando SCP foi automaticamente informado deste fato através dos meios usuais, e uma pequena equipe de agentes SCP foi enviada para reivindicar e transportar o objeto até a Área-19, onde permaneceu em testes pelos próximos 2 anos.

O objeto foi transferido para sua localização atual no Comando-██ em 1994.

Adendo:

Documento #120-7: Testes de destruição em SCP-120 – 24/12/1993 [Versão resumida]

Serra manual: 30 cm – Sem resultado
Furadeira industrial: Broca de aço – Sem resultado
Furadeira industrial: Broca de diamante – Sem resultado
Munição: Parabélum 9x19 mm – Sem resultado
Munição: NATO 5,56x45 mm – Sem resultado
Munição: 7,62x39 mm – Sem resultado
Munição: M830 HEAT 120 mm – Sem resultado
Maçarico: Acetileno – Sem resultado
Maçarico: Hidrogênio – Sem resultado
Maçarico: Propano – Sem resultado
Laser CO2 (energia máxima: 100 kW) – Sem resultado
Laser CO2 (energia máxima: 500 kW) – Sem resultado

Documento #120-10: Explicação detalhada das capacidade e destinos de SCP-120 – 12/02/1994 [Versão resumida]

SCP-120 possui a capacidade de translocar seres humanos instantaneamente, possivelmente através de uma ou mais dimensões alternativas. Indivíduos que utilizem o objeto são invariavelmente depositados em uma de 11 localizações. Estas localizações se alteram em um ciclo específico e imutável. Os 11 destinos e suas localizações form determinados através de testes com funcionários Classe-D portando receptores de rádio. São detalhados a seguir:

Localização 1: Oceano Pacífico: O líquido de SCP-120 apresenta um brilho azul quando conectado a esta localização.

Indivíduos que viajem para esta localização são depositados a cerca de 2 metros acima da superfície do Pacífico na latitude █████████°S, longitude ██████████°O. Um navio SCP (SCPS Demeter – publicamente conhecido como USS Nassau, um navio meteorológico) encontra-se estacionado neste local, e funcionários que cheguem através de SCP-120 se materializam no interior do compartimento de carga do navio.

Materiais ou funcionários SCP críticos podem ser enviado a este local em caso de emergência, e o navio possui aparato para o armazenamento de objetos SCP de baixo risco, caso necessário. Funcionários Classe-D utilizados para "calibrar" SCP-120 podem ser confinados e extraídos por helicóptero, reutilizados ou simplesmente rescindidos e armazenados no compartimento de carga.

O Classe-D original e seu transmissor de rádio utilizados para determinar esta localização foram perdidos no oceano, e podem precisar ser coletados para manutenção da confidencialidade, caso surjam em orlas habitadas.

Esta configuração de SCP-120 foi arbitrariamente designada como #1, e não possui importância observável comparada às outras configurações. Os destinos de 2 a 11 seguem em ordem sequencial após esta configuração, voltando a ela ao final do ciclo.

A viagem com SCP-120 para esta localização não é recomendada durante tempestades, devido ao risco de ferimentos.

Localização 2: Groenlândia: O líquido de SCP-120 apresenta um brilho forte e branco quando conectado a esta localização.

Indivíduos que viajem para esta localização se materialização 1,5 m acima da superfície da Groenlândia, na latitude █████████°N and longitude █████████°O. Uma pequena instalação SCP foi instalada no local, sob o pretexto público de expansão da indústria petrolífera. Esta instalação possui capacidades e uso similares às de Demeter, além de ser equipada com uma pista de pouso e estações de abastecimento.

Localização 3: L3: Localizada no Ponto Lagrange 3 da Lua terrestre. O SCP apresenta uma coloração preta profunda.

Objetos e funcionários enviados pelo SCP para qualquer ponto Lagrange (localizações 3, 5, 8, 10 e 11) são considerados efetivamente perdidos, uma vez que sua reaquisição é impossível com o nível tecnológico atual. Estes locais podem futuramente ser considerados uma maneira possível de eliminar SCPs pequenos, porém ameaçadores, mas, por ora, são tratados como mera inconveniência, uma vez que o sacrifício de um funcionário Classe-D é necessário para avançar o ciclo do SCP para a próxima configuração.

Localização 4: Himalaias: SCP-120 apresenta um brilho branco similar ao da Localização 2.

A materialização ocorre a at latitude █████████°N, longitude █████████°L, em uma montanha na cadeia dos Himalaias. Somente pequenas mudanças foram feitas neste local: foi escavado uma trincheira de 8 metros para descarte de corpos de Classe-D, instalada uma cobertura para encobrimento e levados suprimentos e tendas para evacuações feitas para este local (que só devem ocorrer em casos extremos).

Funcionários Classe-D utilizados para calibração devem ser injetados com uma mistura de sedativos e neurotoxinas antes de serem enviados, para garantir a ocorrência de uma morte humanitária e diminuir o risco de danos às estruturas na Localização 4.

Localização 5: L5: Idêntica à Localização 3.

Localização 6: Saara: SCP-120 brilha amarelo.

Funcionários se materializam a latitude █████████°N, longitude █████████°L, em um pequeno entreposto SCP. A necessidade de confidencialidade torna esta instalação inapta para armazenar objetos SCP significativos, mas é ideal para a evacuação de funcionários e documentos do Comando.

Localização 7: Gobi: SCP-120 apresenta um brilho marrom.

Nesta localização se encontra um pequeno entreposto SCP no deserto de Gobi, latitude █████████°N, longitude ██████████°L. Fora isto, é idêntico ao entreposto da Localização 6.

Localização 8: L2: Idêntico à Localização 3, embora apresente maior potencial para remoção de SCPs, uma vez que se encontra atrás da lua.

Localização 9: Mare Imbrium: O SCP mostra um fraco brilho cinza quando conectado a esta localização.

Esta localização encontra-se em uma seção relativamente plana do Mar de Chuvas na superfície lunar. Através de altos custos financeiros e funcionários Classe-D, um pequeno entreposto foi instalado no local, que é considerado um dos mais seguros da Fundação.

Localização 10: L4: Idêntico à Localização 3.

Localização 11: L1: Idêntico à Localização 3.


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License