SCP-145
Avaliação: 0+x

Item nº: SCP-145

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-145 deve permanecer constantemente em sua câmara em um recipiente de acrílico medindo 0,5m x 0,5m x 0,5m, exceto enquanto estiver sendo estudado. A câmara deve ser isolada acusticamente e firmemente trancada enquanto SCP-145 não estiver sendo utilizado. Nenhum funcionário deve entrar em contato físico com SCP-145 em hipótese alguma, exceto quando acompanhado e constantemente observado por um ou mais funcionários ou em experimentos devidamente autorizados. Qualquer funcionário que apresente sintomas de trauma psicológico grave deve ser imediatamente escoltado para fora da área de contenção. Dependendo do nível do trauma sofrido pelo funcionário em questão, pode ser necessário acompanhamento com um psiquiatra autorizado por pelo menos duas semanas.

Descrição: SCP-145 aparenta ser um telefone sem fio comum com modelo de 2002 da marca Alcatel, em uma base comum de carga de bateria. A base de carga parece ter sido vandalizada; todas as entradas de cabo telefônico foram seladas com resina e a entrada de cabo elétrico foi arrancada com uma ferramenta afiada desconhecida. O número de série e a data de fabricação do aparelho não podem ser localizados, pois todos seus adesivos e etiquetas foram arrancados ou destruídos. O telefone toca constantemente, independente de estar sobre a base, mesmo sem qualquer fonte de energia elétrica. Experimentos mostraram que a bateria do telefone é removível, e o desmanche da base não surtiu qualquer efeito sobre o aparelho. O telefone em si teve todas suas aberturas seladas, impedindo qualquer tentativa comum de desmontagem. Ao ser atendido, uma voz feminina fala ao telefone com uma voz que apresenta altos níveis de estresse. A voz varia a cada chamada, mas em todos os casos manifesta pânico extremo, suplicando ao ouvinte por ajuda e descrevendo formas de tortura sendo conduzidas em vítimas desconhecidas. Ao fundo, o ouvinte é capaz de identificar ruídos indicando violência e expressões de dor e angústia. Até agora, as análises realizadas no áudio indicam a existência de pelo menos ██ vozes distintas, em diversas chamadas. Os métodos de tortura implícitos até agora (a julgar pelas frases e reações da locutora em cada caso) incluem queimaduras, electrocussões, lacerações, ataques sexuais, [DADOS EXPURGADOS] e desmembramentos.

As interlocutoras aparentam ser entidades sencientes e não-automatizadas. Tentativas de rastrear as chamadas ou de identificar o local onde se encontram os torturados foram, até o momento, mal-sucedidas. Tentativas de bloquear o sinal do telefone utilizando uma gaiola de Faraday também não surtiram efeitos.

Experimentos são conduzidos em equipes de pelo menos três pessoas (um funcionário Classe D, um técnico de áudio Classe 2/145 e um funcionário de segurança Classe 3), sendo que o contato auditivo direto com as transmissões de SCP-145 só é permitido ao funcionário Classe D. Os testes mostram que em 100% dos casos, qualquer indivíduo que atenda SCP-145 sem supervisão presencial desaparecerá sem qualquer indício sobre o método de transporte utilizado. Gravações em vídeo também não revelam o método empregado; o indivíduo aparece em um dos quadros e desaparece no seguinte. Após a desaparição, o telefone simplesmente cai no piso. Até o momento, o telefone não parece ter sido danificado por estas quedas. Comunicações subsequentes com o objeto indicam que os indivíduos desaparecidos se juntam ao grupo de vítimas torturadas.

Registro de Experimentos
Procedimento Utilizado: Todos os testes devem ser conduzidos utilizando funcionários Classe-D, qualquer equipamento fornecido aos indivíduos deve ser adicionado ao registro. Em cada caso, um funcionário Classe-D será ordenado a atender o telefone. Após o desaparecimento do indivíduo inicial, a equipe descrita acima atenderá ao telefone e registrará observações.

Experimento 145-A:
Data: ██\██\████
Indivíduo: D-145-3749, equipado com um (1) dispositivo de localização por GPS. Tentativa de determinar o local de origem da chamada.
Resultado: O GPS parou de funcionar após a desaparição do funcionário Classe-D. Em interação posterior com SCP-145, técnicos de áudio foram capazes de identificar a voz de D-145-3749, junto às das outras vítimas.

Experimento 145-B:
Data: ██\██\████
Indivíduo: D-145-4751, equipado com um (1) dispositivo de localização por GPS e uma (1) faca de combate de padrão militar com 6 polegadas. Segunda tentativa de determinar a localização descrita do outro lado da linha, com opção de auto-defesa fornecida ao indivíduo.
Resultado: O GPS parou de funcionar após a desaparição do funcionário Classe-D. Em interação posterior com SCP-145, a voz feminina indicou estresse constante, afirmando "Meu deus, está cortando ele, está cortando fora seu [DADOS EXPURGADOS]". Em seguida, técnicos de áudio foram capazes de identificar a voz de D-145-4751, junto às das outras vítimas.

Experimento 145-C:
Data: ██\██\████
Indivíduo: D-145-5319, equipado com uma (1) pistola semi-automática de 9mm, um (1) colete de Kevlar. Indivíduo forçado a atender o telefone. Tentativa de determinar a interatividade do local de destino e a possibilidade de auto-defesa.
Resultado: Na interação seguinte com SCP-145, disparos puderam ser ouvidos, então [DADOS EXPURGADOS]. A voz feminina prosseguiu, afirmando que [DADOS EXPURGADOS] e outros disparos foram ouvidos. Os técnicos de áudio foram capazes de identificar exclamações de dor originadas de D-145-5319 após cada disparo.

Experimento 145-D:
Data: ██\██\████
Indivíduo: D-145-6842, equipado com um quilograma de explosivos C4 escondido em um kit de suprimentos. Os explosivos foram conectados a um detonador remoto com um atraso de 30 segundos, ativado antes da interação do indivíduo com SCP-145. Tentativa de determinar a possibilidade de interação ou destruição do local de destino.
Resultado: [DADOS EXPURGADOS] resultou no desaparecimento de ██ funcionários da Fundação, incluindo Dr. ████ e todos os outros pesquisadores associados a [DADOS EXPURGADOS] brechas na segurança SCP na Área ██. Testes desta natureza estão, presentemente, proibidos.

Não sei quem achou que essa seria uma boa ideia. Eu sei que às vezes deixamos a compaixão falar mais alto, mas esta tentativa de dar 'alívio' às vítimas de SCP-145 custou à Fundação um monte de dinheiro e recursos.
Dr. ██████


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License