SCP-150
Avaliação: +1+x
882.jpg
Um espécime de SCP-150.

Item #: SCP-150

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-150 deve ser mantido em uma cela de contenção segura na Área-12 de Bio-Pesquisa. Todas as pessoas que entrarem nesta cela devem usar equipamentos de risco biológico Nível-4 para prevenir a infecção. Nenhum outro procedimento de contenção é necessário.

Descrição: SCP-150 assemelha-se à Cymothoa exigua (peixe comedor de língua), mas está adaptado para Homo sapiens. Em contato, o objeto se insere profundamente na carne de seu hospedeiro. Dentro de 48 horas, o membro mais próximo do local da infecção terá sido convertido em um membro quitinoso semelhante a um exoesqueleto. O membro exoesqueletal é composto inteiramente de matéria consistente com SCP-150. O hospedeiro é capaz de controlar esta parte como uma normal, devido a uma interface neuromuscular avançada entre o parasita e o hospedeiro. O parasita absorve nutrientes dos vasos sanguíneos assimilados, principalmente as artérias braquial e radial nos braços, e da artéria femoral nas pernas.

A 2ª fase da infecção começa cerca de 7 dias após a infecção. Hospedeiros relatam ouvir uma voz desconhecida, pedindo para que ajam de uma maneira que irá resultar na perda do membro parasitário. Após a separação do hospedeiro, o membro age muito parecido com um exoesqueleto descamado. Vários parasitas saem deste "casulo" e procuram o hospedeiro mais próximo, continuando assim o ciclo. Em ██% dos casos, os parasitas nascidos retornam ao hospedeiro original. Isto irá continuar até que todos os membros do hospedeiro original sejam infectados. Uma vez que todos os membros do hospedeiro sejam infectados e separados, várias instâncias do SCP-150 iram enterrar-se no tronco do hospedeiro. Estes espécimes vão juntar-se à artéria pulmonar, aorta e às artérias carótidas. O peito do hospedeiro vai inchar a ███% do seu tamanho original. Neste ponto, entre ██ e ███ espécimes de SCP-150 sairam da cavidade torácica do hospedeiro. A 3ª fase de infecção tem uma taxa de mortalidade de 100%.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License