SCP-161
Avaliação: 0+x

Item n°: SCP-161

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: As três cópias de SCP-161 devem ser mantidas em compartimentos separados no armazenamento de contenção 34 Zeta. Cada compartimento deve ser triplamente trancado, com cada uma das nove chaves utilizadas mantidas por funcionários sênior diferentes. A cada três meses, cada cópia de SCP-161 deve ser removida da contenção. A programação atual permite que somente uma cópia seja removida por vez.

Para remover SCP-161 da contenção, é necessário que o removedor não seja um funcionário sênior; entretanto, esta pessoa deve permanecer acompanhada por três funcionários sênior, portando as chaves, enquanto o objeto permanecer removido. O removedor deve vestir um traje de proteção completo, com reforços nos pulsos, para evitar contato. Os funcionários sênior acompanhantes devem se vestir da mesma forma.

Antes da remoção, uma cela deve ser reservada para a ativação de SCP-161. Dois Classe-D devem ser disponibilizados. Um dos Classe-D deve ser atado a uma cadeira, imobilizado, com seu braço esquerdo em ângulo reto em relação ao corpo. É imperativo que seu pulso esteja completamente imobilizado, de forma a impedi-lo de girar a mão, ou alterar o ângulo de SCP-161. O segundo Classe-D deve ser atado à parede diretamente na frente da mão do primeiro.

Ao ser removido, SCP-161 deve ser imediatamente levado à cela preparada. SCP-161 deve ser colocado na mão travada do Classe-D imobilizado na cadeira. Quando este Classe-D ativar o objeto uma vez, o mesmo deve ser removido e devolvido à sua contenção. Ambos Classe-D devem ser então devolvidos à contenção geral, mas nunca novamente colocados em contato.

Descrição: Atualmente, existem três cópias de SCP-161 sob controle da Fundação. SCP-161 parece ser um catavento infantil de cores brilhantes, feito de plástico, com o selo "A Fábrica" colado em sua parte traseira.

SCP-161 só manifesta suas propriedades únicas ao ser segurado pelas mãos nuas de um ser humano. Cerca de três a sete segundos após segurar SCP-161, seu portador descobrirá como utilizá-lo. A partir deste ponto, o portador torna-se completamente convencido de que SCP-161 é capaz de emitir pulsos de energia, de intensidade variável. Esta convicção só afeta o portador, pois nenhum outro indivíduo é capaz de visualizar estes pulsos, nem perceber os supostos danos provocados por eles.

Entretanto, qualquer coisa que o portador 'destrua' com estes pulsos de energia torna-se incapaz de afetá-lo, mesmo após o término do contato com SCP-161. Paredes atingidas pelo pulso de energia podem ser trespassadas pelo portador, e seres vivos afetados são incapazes de tocá-lo, ou afetá-lo com qualquer tipo de instrumento.

Um pequeno efeito colateral de SCP-161 faz com que seu portador desenvolva megalomania e ilusões de grandeza.

Adendo 1: Os procedimentos de contenção originais foram alterados após um guarda, sem qualquer conhecimento prévio de SCP-161, invadiu a contenção e começou a utilizar o objeto livremente. Após a contenção da brecha de segurança, pesquisadores descobriram que, caso não seja utilizado ocasionalmente, SCP-161 começa a exercer uma atração telepática. Este efeito afeta indivíduos com baixa auto-estima e força de vontade, atraindo-os ao objeto. Ao obterem acesso, estes indivíduos tomam o objeto nas mãos e começam a utilizá-lo como descrito anteriormente.

Adendo 2: Um pesquisador júnior, galgando o favorecimento dos funcionários sênior, notou uma tendência incomum nos objetos e seres supostamente destruídos por SCP-161. Uma investigação dos indivíduos assim afetados por SCP-161 antes de sua contenção revelou que, sem exceção, todos haviam cometido suicídio, muitos após menos de um ano depois de serem afetados pelo objeto. Uma avaliação dos objetos afetados por SCP-161 mostrou que, embora alguns deles continuem inteiros, a maioria deles se deteriorou, e aqueles que resistiram apresentam sinais da passagem de muito mais anos do que sua idade real sugeriria.

Uma pesquisa sobre os funcionários que foram afetados por SCP-161 mostra que mais de cinquenta porcento deles faleceu desde então. Naqueles que restaram, foi verificada consistentemente, em entrevistas, a ideia de que "a vida não tem mais graça". Após esta descoberta, foi determinado o uso de SCP-161 exclusivamente em funcionários Classe-D, e nunca em vigas de sustentação.


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License