SCP-163
Avaliação: 0+x

Item nº: SCP-163

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: O aposento de SCP-163 é composto por quatro cômodos adjacentes, com 3 m do piso ao teto, e os seguintes atributos:

  • Uma câmara de descompressão, com 5 m x 5 m, equipada com assentos adequados para as morfologias de SCP-163 e humana.
  • Uma câmara de armazenamento, com 5 m x 3 m, com espaço suficiente para armazenar o traje de isolamento de SCP-163, ferramentas e jogos.
  • Uma oficina/área de alimentação, com 20 m x 15 m, para conter todos os objetos tecnológicos recuperados, inclusive SCP-163-1,
  • Uma área de descanso e sono, com 5 m x 5 m, mobiliada com assentos e leito adequados à morfologia de SCP-163.

O ar do aposento é filtrado e monitorado automaticamente por computadores e diariamente por funcionários, para detectar possíveis impurezas. Os filtros devem se trocados semanalmente, ou sempre que forem detectadas impurezas no ar. São utilizados dois sistemas de iluminação distintos nos cômodos: Um deles produz radiação entra 400 nm e 700 nm e o outro produz radiação entre 150 nm e 300 nm. O sistema primário deve ser mantido ligado constantemente para facilitar a observação do objeto. O sistema secundário pode ser ligado ou desligado a critério de SCP-163. Em hipótese alguma é permitida a introdução de elementos ou produtos químicos em quantidades superiores às descritas no Manual M-163-1. Funcionários e objetos portados devem ser analisados em cada acesso ao aposento, para garantir a ausência destas substâncias.

Funcionários devem vestir trajes de isolação enquanto estiverem no aposento para protegerem a si mesmos e SCP-163 de contaminações cruzadas. Antes de receberem acesso ao aposento, funcionários devem ler o Manual M-163-2 e realizarem uma entrevista com o Dr. ████████. Funcionários autorizados podem interagir com SCP-163 auxiliando-o nos reparos de seus equipamentos e jogando jogos de tabuleiro com o objeto.

SCP-163 tem autorização para sair de seu aposento a qualquer momento. O objeto deve, anteriormente, informar sua intenção de sair através de um gesto convencionado previamente, e deve vestir seu traje de isolação. Seu traje está equipado com os mesmos filtros de ar utilizados para reciclar o ar de seus aposentos. Para facilitar sua visão, SCP-163 está também autorizado a portar uma lanterna UV capaz de produzir radiação com comprimentos de onda superiores a 280 nm, para evitar o risco de câncer de pele em funcionários. Enquanto percorre pelas instalações, SCP-163 deve ser acompanhado por um pesquisador júnior, encarregado de registrar todas as suas ações, gestos e expressões com uma filmadora. O acompanhante também deve impedir que SCP-163 acesse áreas que representem algum perigo ao objeto.

Uma vez a cada três (3) dias, funcionários encarregados devem deixar um recipiente de 20 L contendo elementos químicos nas proporções listadas no Manual M-163-1 na câmara de descompressão. SCP-163 então receberá o recipiente e colocará seu conteúdo em SCP-163-1. O recipiente vazio deve então ser devolvido à câmara de descompressão para ser recolhido.

Qualquer equipamento presente no aposento só deve ser retirado na presença de SCP-163. Caso SCP-163 interfira com a remoção de qualquer equipamento, o item em questão deve ser devolvido à área da qual foi tirado. Em hipótese alguma SCP-163-1 deve ser desmontado, operado ou removido por funcionários. Qualquer tentativa de realizar um destes procedimentos será punida severamente.

Descrição: SCP-163 é um organismo sapiente de origem extraterrestre. Em posição vertical, possui 2 m de altura e 1,5 m de largura, com a maior parte de seu corpo suspensa a 50 cm do solo. O corpo é aproximadamente cilíndrico, com uma boca circular na parte inferior, o equivalente de uma cabeça na parte superior, e oito pernas triarticuladas distribuídas radialmente por seu equador. SCP-163 também possui uma série de membros especializados, listados a seguir:

  • Dois aparatos preênsis localizados nas laterais da boca
  • Dois braços próximos ao topo do corpo, utilizados para manipulação delicada
  • Dois braços maiores localizados próximos às pernas, utilizados para manipulação pesada e levantamento de objetos, capazes de produzir força estável de aproximadamente 500 N e golpes com força de até 2000 N
  • Dois membros de função indeterminada localizados entre as pernas e a boca, amputados antes da descoberta de SCP-163.

A 30 cm do topo do corpo, há um único olho semi-composto capaz de se estender em um círculo ao redor do objeto, permitindo visão de 360 graus. Há um ponto cego na parte de trás da cabeça, deixando espaço para um órgão utilizado na produção de excretas corporais. O olho composto é dividido em 88 unidades. A hipótese mais provável é de que cada unidade seja capaz de receber somente informações verticais, enquanto o cérebro intui informações horizontais comparando os sinais recebidos por cada unidade. O olho é sensível a luz com comprimento de onda entre 150 nm e 300 nm, equivalente à radiação UVC que é prejudicial a maior parte das formas de vida terrestre.

SCP-163 possui um endosqueleto constituído de um tecido com composição e estrutura similares às da celulose. A estrutura esqueletal forma saliências na junta superior de cada perna e parece ter sido desgastada de forma mecânica. Nenhum sinal de dor é exibido quanto se retiram amostras destas saliências. Sua pele é transparente à luz com comprimento de onda visível, mas opaca em luz ultravioleta. Amostras de sangue revelam um sistema de transporte de oxigênio e gás carbônico baseado em níquel, diferente dos sistemas baseados em ferro ou cobre utilizados por organismos terrestres, e possuem coloração verde. Análises realizadas no sangue e nos tecidos de SCP-163 mostram que suas células utilizam DNA para criar instruções, com as mesmas bases conhecidas, GCAT; contudo, suas células utilizam um método diferente de interpretar as instruções criadas. Seus aminoácidos também são codificados com três bases, mas diferentes dos utilizados nas células terrestres. Além disso, alguns dos aminoácidos terrestres não existem em sua biologia, e o objeto possui aminoácidos inexistentes na biologia terrestre.

O meio ambiente natal de SCP-163 deve conter proporções diferentes de elementos em comparação ao da Terra. Isto é demonstrado pela sensibilidade do objeto a certos elementos comuns e pela sua resistência a outros, mais raros. [REMOVIDO], um metal pesado tóxico à vida terrestre, é utilizado no metabolismo de SCP-163. Ferro e cálcio, embora não sejam utilizados por SCP-163, não lhe causam efeitos deletérios. A exposição a █████████████ em qualquer forma química causa danos aos seus tecidos. ███████ e ███████ são tão prejudiciais a SCP-163 quanto a nós. No Manual M-163-1, há uma tabela completa com os elementos seguros e prejudiciais em relação a SCP-163. Adicionalmente, a atmosfera de seu planeta deve ter proporções diferentes de gases. SCP-163 é capaz de sobreviver em nossa atmosfera por algum tempo sem assistência mecânica, mas começa a manifestar sintomas de enfermidades após uma hora de exposição. A filtragem do ar terrestre, destinada a remover certos elementos comuns, é suficiente para evitar que isto aconteça. A pesquisa da tecnologia de SCP-163 inclui buscas por câmaras hermeticamente seladas, capazes de conter traços da atmosfera natal do objeto.

Não se conhece a forma como SCP-163 comunica ideias complexas. A única vocalização produzida pelo objeto é uma onda sinusoidal constante de aproximadamente 15 Hz quando colocado em certos estados emocionais. Não há variações desta vocalização, que pode durar de 15 segundos até 10 minutos. É recomendado que os funcionários expostos a este som permaneçam em áreas bem iluminadas para evitar sensações de paranoia. As emoções são expressadas primariamente através do domo de tecido acima do olho composto. Estados emocionais distintos se diferenciam por contorções nos sulcos na pele causadas por músculos subdérmicos. Além disso, foram identificados gestos afirmativo e negativo. O gesto afirmativo consiste em um rápido batimento em conjunto dos manipuladores delicados, enquanto o negativo é representado pelo mesmo movimento executado pelos manipuladores pesados. Informações específicas sobre os gestos e estados emocionais podem ser encontradas no Manual M-163-2.

SCP-163-1 aparenta ser um dispositivo universal de suporte de vida. É capaz de converter elementos químicos básicos em alimento para SCP-163, além de originalmente provocar o fenômeno no qual SCP-163 foi encontrado. Para garantir a continuidade da saúde de SCP-163, o estudo de SCP-163-1 encontra-se proibido até a morte de SCP-163. As funções dos outros equipamentos ainda não foram completamente compreendidas. A tecnologia se limita a uma série de transistores rústicos agregados em diversos sistemas análogos a computadores. Diversos processos físicos modelados nestes sistemas não possuem correspondências à ciência moderna. Foi teorizado que SCP-163-1 depende de alguns destes processos para funcionar.

SCP-163 foi descoberto pela primeira vez por mineiros na Cordilheira dos Andes em ██-██-20██. O estrato rochoso no qual foi encontrado possui cerca de ████████████ anos; choques encontrados nos minerais adjacentes indicam que seu veículo espacial fez um pouso forçado. Os mineiros relataram ter encontrado uma superfície espelhada impenetrável, que desapareceu abruptamente depois que certa quantidade de rochas foi removida de cima dela. A descrição sugere que esta foi uma versão maior do fenômeno produzido por SCP-163-1. Apesar de ter permanecido envolto em rocha por ████████████ anos, os conteúdos da câmara não mostravam qualquer sinal de degradação ou envelhecimento, o que, acredita-se, faz parte do fenômeno.

Cerca de 30% do equipamento foi saqueado antes que agentes pudessem chegar ao local. Embora alguns deles tenham sido recuperados, ainda há muitos itens desaparecidos. Agentes continuam monitorando o mercado negro em buscas de pistas sobre o paradeiro da tecnologia desaparecida.

Quando os agentes tomaram controle do local, SCP-163 ainda estava envolto pela esfera refletiva produzida por SCP-163-1. A interface relativamente simples de SCP-163-1 permitiu que os agentes rapidamente o desativassem. Os agentes foram forçados a subjugar SCP-163, que apresentou comportamento violento no momento. Fora este confronto inicial, SCP-163 tem cooperado com a Fundação até onde sua capacidade de nos compreender permite.

Segue uma seleção de experimentos realizados com SCP-163. A lista completa dos experimentos encontra-se no Manual M-163-2.

Registro de Experimento 163-46: Reconhecimento facial.

Data: ██-██-20██
Objeto: SCP-163
Procedimento: Dr. ████████ entrou no aposento de SCP-163 carregando trinta (30) cartões de 11x17 cm com imagens impressas em tinta capaz de absorver luz UV. As imagens eram representações de rostos humanos, variando em complexidade. As imagens foram mostradas para SCP-163 da menos complexa, um "smiley", à mais complexa, uma fotografia do Dr. ████████.
Detalhes: SCP-163 não foi capaz de reconhecer o "smiley", que bebês humanos são capazes de imitar imediatamente. SCP-163 não reagiu até a décima-oitava imagem, quando pegou o cartão e o colocou sobre o visor do Dr. ████████. A Imagem 18 continha traços faciais exagerados, que incluíam nariz, olhos, orelhas e uma boca aberta mostrando uma fileira de dentes. A Imagem 17 era idêntica, mas com a boca fechada.

Registro de Experimento 163-47: Reconhecimento facial.

Data: ██-██-20██
Objeto: SCP-163
Procedimento: Dr. ████████ entrou no aposento de SCP-163 carregando vinte (20) cartões de 11x17 cm com imagens impressas em tinta capaz de absorver luz UV. As imagens eram representações do topo do corpo de SCP-163, variando em complexidade de um triângulo isósceles a uma fotografia de SCP-163.
Detalhes: SCP-163 não reconheceu o primeiro cartão como um membro de sua espécie. O segundo cartão, contendo um triângulo isósceles atravessado por uma linha horizontal, gerou uma reação. SCP-163 pegou todos os cartões do Dr. ████████ e olhou cada um deles. Começou então a organizá-los em duas pilhas, um que continha seis imagens, incluindo a Imagem 1, e outra com as demais, incluindo a Imagem 2. Foi hipotetizado que a primeira pilha continha imagens que não teriam sido identificadas como membros da espécie de SCP-163, enquanto a segunda continha imagens que teriam sido. A presença da fotografia na segunda pilha reforça essa hipótese.

Registro de Experimento 163-80: Teste de altruísmo.

Data: ██-██-20██
Objeto: SCP-163
Procedimento: Dr. ████████ entrou no aposento portando dois blocos de madeira e uma caixa capaz de contê-los. Dr. ████████ abriu a caixa e colocou um dos blocos dentro, fingindo realizar grande esforço. Após fechar a caixa, Dr. ████████ moveu o segundo bloco em sua direção, novamente fingindo esforço, e aguardou uma resposta de SCP-163.
Detalhes: SCP-163 abriu a caixa para o Dr. ████████ após 10 segundos de tentativas de colocar o bloco dentro da caixa com a tampa fechada. O resultado é consistente com experimentos da mesma natureza realizados em crianças humanas.

Registro de Experimento 163-88: Funções superiores.

Data: ██-██-20██
Objeto: SCP-163
Procedimento: Dr. ████████ entrou no aposento com um carrinho contendo um cavalete, cinco telas, diversos pincéis e uma seleção de pigmentos capazes de refletir frequências ultravioleta diferentes entre 150 nm e 300 nm. Dr. ████████ demonstrou brevemente o ato de pintar, utilizando três dos pigmentos, passando em seguida o pincel para SCP-163.
Detalhes: SCP-163 começou imediatamente a pintar com os pigmentos fornecidos. De acordo com as imagens UV, a imagem produzida foi de uma paisagem contendo plantas e animais irreconhecíveis. SCP-163 permaneceu parado por sete minutos após terminar a pintura e em seguida a derrubou do cavalete e fugiu para um canto do aposento. Seus sulcos craniais indicaram angústia. As tentativas seguintes de interação com SCP-163 fracassaram até que o Dr. ████████ tentou retirar os materiais de pintura do aposento. Neste momento, SCP-163 utilizou seus manipuladores pesados para indicar o gesto negativo. No dia seguinte, SCP-163 foi visto pintando em uma nova tela.

Adendo 163-88:
A partir de hoje, telas, tintas e pincéis devem ser fornecidos a SCP-163 sempre que seus materiais estiverem acabando. Esta é a primeira forma significativa de comunicação que fomos capazes de compreender. No mínimo, poderemos aprender mais sobre a ecologia de sua terra natal. - Dr. ████████

Adendo 163-88:
As chances de SCP-163 ser descoberto são abissais considerando o tamanho da Terra. Uma série de fatores teria que ter sido envolvida, incluindo placas tectônicas, alterações humanas no relevo e simples e mera sorte. Vou arquivar uma recomendação de que todas as escavações em estratos com █████████ anos sejam monitoradas por agentes, na esperança de que encontremos mais membros da espécie de SCP-163. Custo a acreditar que tenhamos encontrado a única espaçonave que colidiu com a Terra milhões da anos atrás numa era onde acabamos de desenvolver a capacidade de reconhecer a importância deste achado. Devem haver outros ocultos em stasis lá embaixo. - Dr. █████████


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License