SCP-900

Item nº: SCP-900

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: A Área-78 contém completamente as áreas não-submersas de SCP-900. O perímetro deve ser rodeado por cercas elétricas. Dois atiradores de elite devem permanecer posicionados em cada uma das torres de vigia durante o dia, e quatro durante a noite. O alojamento de SCP-900-1 deve ser constantemente vigiado por 2 agentes armados. Funcionários estão autorizados a administrar amnésicos Classe C a qualquer invasor. Invasores devem ser levados à delegacia de polícia de [REMOVIDO].

Descrição: SCP-900 é uma cidade abandonada localizada em uma ilha e em seus arredores a ███ km na direção sudoeste da Província de [REMOVIDO], Indonésia. Sua área total é de aproximadamente 150 km². Arqueólogos da Fundação estimam que SCP-900 tenha sido construída entre ██████ e █████ AC, e que sua queda tenha ocorrido entre ████ e ████ AC. Diversos historiadores medievais e antigos fizeram possíveis alusões à destruição de SCP-900, incluindo Tucídides e São Beda (ver Documento CTE5-86).

A maioria das estruturas de SCP-900 está em ruínas. Resquícios de escadarias, fundações de granito e alguns arcos permanecem intactos. Em seu ápice, a cidade foi rodeada por muralhas de pedra e era dividida em três distritos: o distrito dos templos, o distrito do mercado, e o distrito residencial. A maior construção de SCP-900, o Templo 1, era o principal centro religioso. Há outros dois templos (Templos 2 - 7) em cada um dos outros distritos de SCP-900, e 52 santuários menores podem ser encontrados no exterior das muralhas de SCP-900. Três dos portões de SCP-900 foram destruídos, mas o "Portão Cinzento" e o "Portão do Rio" permanecem intactos. O Portão Cinzento era aparentemente utilizado por pessoas comuns, e o Portão do Rio servia como ancoradouro.

A área de SCP-900 é marcada pela presença de uma disrupção em equipamentos eletrônicos, incluindo, mas não se limitando a perda de funcionalidade, desligamentos, distorções ou amplificações de imagens, etc. Equipamentos de áudio a uma distância de até 3 km da Área-78 podem receber sinais esporádicos de "ruído branco" em diversas frequências.

SCP-900-1, uma humanoide do sexo feminino, é a única moradora de SCP-900 e a fonte da maior parte das informações a respeito de sua história. SCP-900-1 fala e escreve em uma linguagem desconhecida, e tem trabalhado em conjunto com Dr. Kipp e Pesquisador Liddell na criação de uma lista de palavras com correspondências pictográficas. SCP-900-1 resiste a demonstrações de força através de [DADOS EXPURGADOS]. SCP-900-1 não tenta sair da Área-78 em nenhuma circunstância.

SCP-900-1 foi [SEÇÃO REMOVIDA POR ORDEM O5. É NECESSÁRIA AUTORIZAÇÃO DE NÍVEL 5 PARA ACESSAR]

Adendo 1: Fragmentos relevantes das anotações pessoais do Agente Narino, ██/██/██ (Registros completos disponíveis sob autorização do Dr. Kipp):

"As explosões de 'ruído branco' nos equipamentos de rádio estão ficando mais frequentes e mais claras. Eles são ruídos de fundo como se ouviria em qualquer outra cidade grande … [em sua] maioria, tratam-se de ruídos ambientes, mas na verdade, eles parecem ser específicos a diversas áreas. Ruas maiores produzem os sons de muitos passos, com ocasionalmente o que parece ser trânsito. Nós até captamos sons que parecem ser falas, em alguns lugares. Em breve, seremos capazes de [gravar] um fragmento compreensível."

"Ficando mais alto a cada dia. [Nós] conseguimos ouvir as vozes claramente. ██████ traduziu uma parte. Parece se tratar na maior parte de [DADOS EXPURGADOS] e conversas militares. Movimentos de tropas e coisas do gênero. Podemos ouvir treinamentos em alguns dos pátios …"

"Soaram como [DADOS EXPURGADOS] tiros, mas mais graves."


Adendo 2: Em ██/██/██, SCP-900-1 foi entrevistada na Área-78 pelo Diretor da Área, Dr. Kipp. SCP-900-1 foi questionada a respeito de SCP-900. Segue uma lista de perguntas feitas pelo Dr. Kipp e suas respostas, escritas por SCP-900-1. Traduções e anotações foram realizadas pelo Pesquisador Liddell.

Por favor, forneça uma breve história sobre a cidade.
Ela foi construída para o povo1 pelo sol2. Os outros como vocês ficaram com inveja de não conseguirem construir uma cidade tão bela. A inveja foi um problema pequeno no começo. Com o tempo ela cresceu e se tornou uma guerra. O povo era forte, mas os outros eram mais numerosos. Os outros prevaleceram em todas as batalhas.

[DADOS EXPURGADOS]

O sol amaldiçoou os outros colocando um véu5 sobre seus olhos, e o sol se foi do santuário. O mar varreu as ruínas.

Por que você está aqui?
Eu fui punida por minha falta de fé.

A quanto tempo você mora na cidade?
A muitas marés. Eu não as conto.

Você já saiu?
Não.

Você é capaz de sair?
Eu fui punida por minha falta de fé.

Os humanos tinham aparências e hábitos diferentes de hoje?
Eles vestiam peles de animais. Eles não tinham deuses. Eles queriam matar o sol.

Quantas pessoas você estima que viveram aqui em seu ápice?
Há ██████ de nós.

Você está sozinha na ilha?
Há ██████ de nós.

A geografia dos arredores da cidade era diferente de hoje em dia?
Sempre houve o mar, mas a cidade não tinha sido afogada6.

A interferência nos nossos rádios está ficando mais forte nos últimos meses. Você tem uma explicação?
O sol retomará sua criação.

1 'O povo' se refere ao grupo étnico ou tribo específica da qual SCP-900 fez parte. Eles se consideravam diferentes e superiores aos outros grupos.

2 O 'sol' foi assim traduzido pela falta de uma palavra mais precisa. Eu posso tentar aproximar de 'a personificação da iluminação intelectual e espiritual'. No entanto, o 'sol' tem diversas propriedades em comum como o sol real, como a capacidade de queimar coisas. Tanto o sol real quanto o figurativo são representados como discos nas paredes do Templo 1.

3 [DADOS EXPURGADOS]

4 Eu não tenho uma tradução precisa pra isso - 'olhos' ou 'fogo' parecem se aproximar, mas também pode ser uma referência oblíqua a algum tipo específico de estrela ou adaga.

5 Também pode ser traduzido como 'sombra'.

6 Também pode ser traduzido como 'encoberta'. Quando aplicada a uma pessoa, a palavra parece querer dizer 'estrangulada'.


Artigo Original

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License